ROCKEFELLER FELISBERTO DE LIMA

Ajuda
Busca

Acervos
Tipo
Verbete

Detalhes

Nome: LIMA, Rockefeller de
Nome Completo: ROCKEFELLER FELISBERTO DE LIMA

Tipo: BIOGRAFICO


Texto Completo:
LIMA, ROCKEFELLER DE

LIMA, Rockefeller de

*dep. fed. GB 1967-1971.

Rockefeller Felisberto de Lima nasceu em Campos (RJ) no dia 20 de março de 1936, filho de Antônio Felisberto e de Florianita Felisberto de Faria.

Na sua juventude participou do movimento estudantil em sua cidade natal, tendo presidido, em 1952, a Federação de Estudantes de Campos (FEC) e participado, em 1954, da diretoria da União Nacional dos Estudantes (UNE). Em outubro de 1958, foi o vereador mais votado de Campos, na legenda do Partido Trabalhista Brasileiro (PTB). No mandato, iniciado em fevereiro seguinte, ocupou a presidência da Câmara de Vereadores e, ainda em 1959, formou-se na Faculdade de Direito da Universidade Federal do Espírito Santo (UFES).

No pleito seguinte, em outubro de 1962, elegeu-se vice-prefeito de Campos, novamente pelo PTB. Em 1964, com o falecimento do prefeito Barcelos Martins, assumiu a prefeitura. Com a extinção dos partidos políticos pelo Ato Institucional nº 2 (27/10/1965), e a conseqüente instauração do bipartidarismo, filiou-se à Aliança Renovadora Nacional (Arena), agremiação governista criada para dar sustentação política ao regime militar instaurado no país em abril de 1964.

Ocupou o cargo de prefeito até julho de 1966, quando se desincompatibilizou para disputar um mandato na Câmara dos Deputados e foi substituído pelo presidente da Câmara de Vereadores, Carlos Peçanha. Em novembro do mesmo ano, elegeu-se deputado federal pelo Rio de Janeiro. Assumiu a cadeira na Câmara em fevereiro de 1967 e integrou as comissões de Justiça e de Economia.

No pleito de novembro de 1970 retornou à prefeitura de Campos, elegendo-se pela Arena. Foi empossado em 1º de fevereiro de 1971, depois de ter concluído seu mandato de deputado federal. Foi prefeito somente até 31 de janeiro de 1973, pois os mandatos municipais duraram apenas dois anos para evitar a coincidência com os mandatos de deputados estaduais e federais.

Em novembro de 1974, candidatou-se a deputado federal pelo Rio de Janeiro, mas alcançou apenas a quinta suplência na Arena. No pleito de novembro de 1976, tentou retornar ao cargo de prefeito de Campos, mas foi derrotado. Em novembro de 1978, elegeu-se deputado estadual do Rio de Janeiro. No mandato, iniciado em fevereiro do ano seguinte, ocupou a primeira-vice-presidência da Assembléia Legislativa.

Com a extinção do bipartidarismo em novembro de 1979 e a reestruturação do quadro partidário, ingressou no Partido Democrático Social (PDS), agremiação que deu continuidade à Arena. No pleito de novembro de 1982 foi novamente derrotado na eleição para a prefeitura de Campos, que teve como vitorioso o candidato Zezé Barbosa, do Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB).

Em 1985, participou da fundação do Partido da Frente Liberal (PFL), pelo qual elegeu-se segundo-suplente do senador Afonso Arinos no pleito de novembro de 1986 para a Assembléia Nacional Constituinte.

Voltou a se candidatar a prefeito de Campos em novembro de 1988, mas foi derrotado pelo candidato do Partido Democrático Trabalhista (PDT), Anthony Garotinho. Foi também candidato a vice-governador do Rio de Janeiro na chapa encabeçada por Nélson Carneiro, do PMDB, no pleito de outubro de 1990 vencido por Leonel Brizola, do PDT.

Em outubro de 1992, candidatou-se mais uma vez à prefeitura de Campos e foi novamente derrotado, desta vez por Sérgio Mendes, do PDT. Na eleição de 3 de outubro de 1994, já pelo PMDB, tentou se reeleger deputado federal, mas obteve apenas uma suplência. Dezesseis dias depois, no entanto, o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) do Rio de Janeiro anulou o pleito por suspeitas de fraude. Efetuada nova eleição em novembro seguinte, Rockefeller foi mais uma vez derrotado.

Em outubro de 1996, de volta ao PFL, foi novamente derrotado por Garotinho na eleição para a prefeitura de Campos. No pleito de outubro de 1998, candidatou-se a deputado estadual no Rio de Janeiro na legenda pefelista, mas também não obteve sucesso. Nas eleições de 2000, candidatou-se a vice-prefeito na chapa encabeçada por Paulo Feijó à prefeitura de Campos, que terminou em segundo lugar no pleito vencido pelo candidato Arnaldo Viana.

Durante a gestão do prefeito de Campos Alexandre Mocaiber (2005-2009), do Partido Socialista Brasileiro (PSB), foi nomeado secretário de Indústria, Comércio, Turismo e Tecnologia.

Rockefeller de Lima casou-se com Eli Silveira Felisberto.

 

FONTES: BELIDO, V. Política; CÂM. DEP. Deputados; CÂM. DEP. Deputados brasileiros. Repertório (1967-1971); Globo (7/10/98); INF. BIOG.; NÉRI, S. 16; TRIB. SUP. ELEIT. Candidatos (1998);  http://blogvitorlongo.blogspot.com/2007/10/rockfeller-de-lima-o-divisor-de-guas.html acesso em 17/11/09;  http://blogvitorlongo.blogspot.com/2008/10/apareceu.html Acesso em 17/11/09.

Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados