Maria de Lurdes Rodrigues

Entrevista

Maria de Lurdes Rodrigues

Entrevista realizada no contexto do projeto “Cientistas sociais de países de Língua Portuguesa: histórias de vida”, com financiamento do Programa de Cooperação em matéria de Ciências Sociais para os países da comunidade de Língua Portuguesa (Programa Ciências Sociais CPLP) do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Para ter acesso à transcrição e ao vídeo da entrevista clique aqui.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.
Vídeo, com consulta no portal

Tipo de entrevista: História de vida
Entrevistador(es):
Helena Maria Bousquet Bomeny
Celso Castro
Julia Galli O Donnell
Data: 13/5/2013
Local(ais):
Lisboa ; PT ; Portugal

Duração: 2h5min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Maria de Lurdes Rodrigues
Nascimento: 19/3/1956; Lisboa; PT; Portugal;

Formação: Possui licenciatura em Sociologia no Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE) (1984) e doutorado em Sociologia pela mesma instituição (1996).
Atividade: Participou dos trabalhos de instalação do Arquivo Histórico-Social na Biblioteca Nacional de Lisboa (1985-1989). Representante nacional no Grupo NESTI (Working Party on National Experts on Science and Technology Indicators) da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) (1996-2002), no Working Party of R&D and Innovation Survey, do Eurostat(1996-2002) e no Grupo Indicadores para a Sociedade da Informação (WPIIS) da OCDE (1999-2002). Presidente do Observatório das Ciências e das Tecnologias do Ministério da Ciência e da Tecnologia (1997-2002). Por dois anos foi presidente do Conselho Científico do Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa (ISCTE) (2004-2005). Professora de Sociologia e investigadora do Centro de Investigação e Estudos em Sociologia (CIES) no ISCTE (1986-2005). Ministra da Educação de Portugal, de 12 de Março de 2005 a 25 de Outubro de 2009. A partir de novembro de 2010 se tornou docente no Departamento de Sociologia do ISCTE. Desde primeiro de maio de 2010 é presidente do Conselho Executivo da Fundação Luso-Americana para o Desenvolvimento.

Equipe


Transcrição: Maria Izabel Cruz Bitar;

Conferência da transcrição: Juliana Rodrigues de Oliveira Souza;

Técnico Gravação: Thais Blank; Ítalo Rocha Viana; Ninna Carneiro;

Temas

Anarquismo;
Arquivos públicos;
Ciência política;
Ciências Sociais;
Ensino primário;
Família;
Formação acadêmica;
Formação profissional;
Guerras de independência;
Infância;
Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa ;
Intelectuais;
Metodologia de pesquisa;
Militância política;
Ministério da Educação;
Moçambique;
Políticas públicas;
Portugal;
Revolução dos Cravos (1974);
Sindicalismo;
Sociologia;

Sumário

Entrevista: 13.05.2013


Origens; as atividades dos pais; a precariedade de estudos dos pais; a entrada para a escola pública de meninas; a importância da leitura na infância e juventude; o Ensino Superior; as expectativas dos pais mas não pressão por cursos específicos; a inscrição em Sociologia; o ano de 1974; as memórias da Revolução dos Cravos; as diferenças de cotidiano depois de 1974; os professores mais marcantes na Sociologia; a interrupção do curso e retorno em 1983; os colegas de turma; a ida para Moçambique; a juventude ao ir para Moçambique; o trabalho no período de grande responsabilidade; a mudança de trabalho e de condições; as dificuldades passadas durante a Guerra Civil de Moçambique; a tensão ante alguns eventos na fábrica em que trabalhava; as atuações políticas; a intensidade do período em Moçambique; a volta a Portugal e o término do curso em Sociologia; o interesse por Sociologia do Trabalho; o estudo da tese de licenciatura; as atividades depois de terminada a licenciatura; a operação do Arquivo Histórico Social e o acervo sobre o movimento anarco-sindicalista português; o envolvimento com jornais de cunho anarco-sindical; a Sociologia do Trabalho; os trabalhos e pesquisas no ISCTE (Instituto Superior de Ciências do Trabalho e da Empresa); os trabalhos complementares no campo da Sociologia do Trabalho; o interesse por atores sociais pouco explorados na Sociologia do Trabalho; a entrada no campo desconhecido da Sociologia das Profissões; a atividade no Governo; a interrupção da vida acadêmica; a criação do Observatório das Ciências e Tecnologias; o foco no Observatório durante anos; o contato com o Brasil para o desenvolvimento de plataformas de informação; a trajetória no Governo; o fim de um Governo e retorno ao ISCTE; os trabalhos com o censo de 2001; a entrada no Ministério da Educação pela competência técnica; as expectativas ao assumir o mandato de Ministra da Educação; as medidas para diminuir a evasão nos cursos secundários; a trajetória no Governo; as ações para profissionalizar os adultos portugueses através do ensino secundário; a valorização do primeiro ciclo educacional e integração das escolas; as políticas públicas como ministra da educação; a intervenção do Governo nas escolas para dinamizar o acesso de alunos; a importância da informação para o desenvolvimento de políticas; a relação do Ministério com Sindicatos de professores; a realidade educacional portuguesa; a hierarquia nas escolas portuguesas; o retorno ao mundo acadêmico; o Departamento de Ciência Política e Políticas Públicas; a ligação de conhecimento do campo governamental e o novo departamento; a grande procura pelos cursos ministrados pelo Departamento; a promoção de debates no campo das Políticas Públicas; as Ciências Sociais; a preocupação na formação de intelectuais para a participação política; a aplicação das Ciências Sociais nas Políticas Públicas; os outros trabalhos nas Ciências Sociais portuguesas; os perigos que as Ciências Sociais correm; a literatura mais importante para a formação acadêmica; conclusão e agradecimentos.
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados