Avelino Ganzer

Entrevista

Avelino Ganzer

Entrevista realizada no contexto do projeto Memórias dos fundadores do PT, através do convênio estabelecido entre o Centro Sérgio Buarque de Hollanda - Documentação e Memória Política, da Fundação Perseu Abramo, e o CPDOC, da Fundação Getulio Vargas, a partir de 01 de dezembro de 2004, com o objetivo de constituir acervo digital e de publicar um livro desses depoimentos editados.
Forma de Consulta:
Entrevista em texto disponível para download.
Entrevista publicada em livro.
Referência completa: Muitos caminhos, uma estrela: memórias de militantes do PT/ organização Marieta de Moraes Ferreira, Alexandre Fortes. – São Paulo: Editora Fundação Perseu Abramo, 2008.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Marieta de Moraes Ferreira
Alexandre Fortes
Data: 30/5/2006
Local(ais):
Belém ; PA ; Brasil

Duração: 2h48min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Avelino Ganzer
Nascimento: 1/1/0001; Iraí; RS; Brasil;

Formação: O entrevistado nasceu em abril de 1948. Ensino médio, curso de Contabilidade.
Atividade: Produtor rural, sindicalista. Diretor da Agricultura Familiar e Desenvolvimento Local da Secretaria da Agricultura do Governo do Estado do Pará. Foi um dos fundadores da Central Única dos Trabalhadores (CUT).

Equipe

Levantamento de dados: Marieta de Moraes Ferreira;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Marieta de Moraes Ferreira;

Transcrição: Lia Carneiro da Cunha;

Técnico Gravação: Marco Dreer Buarque;

Temas

Ação Libertadora Nacional;
Associações rurais;
Assuntos familiares;
Assuntos pessoais;
Atividade profissional;
Central Única dos Trabalhadores;
Cidadania;
Conselho de Desenvolvimento Econômico;
Formação profissional;
Governo Emílio Médici (1969-1974);
Governo Luiz Inácio Lula da Silva (2003 - 2010);
Jader Barbalho;
Luiz Inácio Lula da Silva;
Militância política;
Movimento camponês;
Movimento dos Sem Terra (MST);
Movimento operário;
Partido dos Trabalhadores - PT;
Política;
Política sindical;
Política social;
Rodovia Transamazônica;
Sindicatos de trabalhadores;
Teologia da libertação;
Trajetória política;

Sumário

Entrevista: 30/05/2006

Origens familiares; nascimento e primeiros estudo em Iraí, no Rio Grande do Sul; o curso de Contabilidade e a mudança para Porto Alegre; os trabalhos na financeira Crefiel e no Bamerindus; a mudança para a Transamazônica pelo sistema de “colonização” proposto durante o Governo Médici; as condições a que estavam submetidos os trabalhadores que se mudavam para a Amazônia neste processo de “colonização”; menção ao seu casamento; a construção da casa e as primeiras plantações; a organização da “colonização” e a criação da cidade de Rurópolis (PA), em 1973; a organização e desenvolvimento da “Linha Gaúcha”, a comunidade gaúcha na região; a importância do contato com um padre americano de linha mais progressista; a importância da Prelazia de Santarém para as comunidades da região; a participação nas atividades religiosas e de organização da comunidade; o contato com a Teologia da Libertação; a organização de uma oposição à diretoria do Sindicato dos Trabalhadores rurais de Santarém; a eleição da chapa do entrevistado para a diretoria do sindicato, em 1980, com a presença de Luiz Inácio Lula da Silva na posse; menção ao líder sindical, Antonio Vieira, membro da Ação Libertadora Nacional (ALN) e sua importância na fundação da Corrente Sindical de Lavradores Unificados; a influência do Movimento de Oposição Sindical Metalúrgica de São Paulo (MOSMSP) na criação e desenvolvimento da Corrente Sindical de Lavradores Unificados; as primeiras conversas acerca da necessidade da criação de um partido dos trabalhadores: a liderança de Luiz Inácio Lula da Silva e do Centro de Educação Popular Sedes Sapientiae (Cepis), neste processo; a atuação enquanto coordenador de um grupo de trabalho, na Conferência Nacional das Classes Trabalhadoras (Conclat), em Praia Grande, no ano de 1981 e no congresso de fundação da Central Única dos Trabalhadores (CUT), em 1983; comentários sobre as divergências entre a Conclat e a CUT; as divergências entre o grupo de Jader Barbalho e o do entrevistado, durante a criação do PT, em Belém; a crise dos sindicatos dos trabalhadores em decorrência de sua partidarização; a diferença entre a atuação do entrevistado e a do seu irmão Valdir Ganzer; a necessidade de uma re-estruturação dos sindicatos, tornando mais claras suas funções e posicionamentos, independentemente dos partidos políticos; a situação de Santarém e proximidades, atualmente: o Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Santarém, a situação econômica, a politização e a força do PT na região; a atuação do governo federal na região da Floresta Amazônica – a maior presença a partir do Governo Lula e as necessidades ainda existentes; a atuação na Cooperativa Agroextrativista Familiar do Pará (Coopaexpa) e na Central de Cooperativas Nova Amafrutas; comentários sobre a atuação do Movimento dos Trabalhadores sem Terra (MST); a importância do Conselho de Desenvolvimento Econômico e Social (CDES) para buscar soluções e convergências na articulação entre governo e sociedade; a participação nas Caravanas da Cidadania e sua importância enquanto projeto nacional; a sub-representação das regiões norte e nordeste no Governo Federal; os princípios e bases éticas para a transformação do país.............pp.161-180
Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados