Raymundo Sérgio Bores de Almeida Andréa

Entrevista

Raymundo Sérgio Bores de Almeida Andréa

Entrevista realizada no contexto do projeto “Memórias do Pronasci”, desenvolvido pela Fundação Getulio Vargas, através da FGV Projetos, em convênio com o Ministério da Justiça, entre agosto de 2008 e setembro de 2009. O projeto resultou na formação de um banco com cerca de 25h de entrevistas e um livro sobre o tema. O principal objetivo é registrar a memória das políticas públicas no Brasil contemporâneo, tomando por base experiências inovadoras da gestão do Estado. Está norteado por duas clivagens: o processo político (governo, agentes de segurança pública e representantes da sociedade civil - quem concebeu e/ou recebeu o Pronasci) e o processo técnico (o trabalho realizado pelo Ministério da Justiça e o monitoramento da FGV - ressaltando as técnicas e soluções empregadas).
Forma de Consulta:
Entrevista publicada em livro.
Referência completa: Segurança e cidadania: memórias do Pronasci: depoimentos ao Cpdoc/FGV/ Marieta de Moraes Ferreira e Ângela Britto (Orgs.).- Rio de Janeiro:Editora FGV, 2010.516p.:il.

Tipo de entrevista: Temática
Entrevistador(es):
Marieta de Moraes Ferreira
Angela Britto da Cunha
Data: 9/7/2009
Local(ais):
Rio de Janeiro ; RJ ; Brasil

Duração: 2h8min

Dados biográficos do(s) entrevistado(s)

Nome completo: Raymundo Sérgio Borges de Almeida Andréa
Nascimento: 10/2/1950; Salvador; BA; Brasil;

Formação: Mestrado em Planificação do Emprego e da Educação pelo Intitut d´Etudes et Developpement Economique et Social – IEDES, Sorbonne, Paris/Graduação em Sociologia.
Atividade:

Equipe

Levantamento de dados: Angela Britto da Cunha;Marieta de Moraes Ferreira;
Pesquisa e elaboração do roteiro: Angela Britto da Cunha;Marieta de Moraes Ferreira;

Transcrição: Lia Carneiro da Cunha;

Conferência da transcrição: Angela Britto da Cunha;

Técnico Gravação: Marco Dreer Buarque;

Sumário: Katherine Nunes de Azevedo;

Temas

Ação Popular (1962);
Anistia política;
Assistência social;
Assuntos familiares;
Autoritarismo;
Bahia;
Brasília;
Ciências Sociais;
Companhia Hidrelétrica do São Francisco;
Congressos e conferências;
Desenvolvimento social;
Direitos humanos;
Ditadura;
Estado e sociedade;
Formação acadêmica;
Formação profissional;
Golpe de 1964;
Governo Luiz Inácio Lula da Silva (2003 - 2010);
Herbert de Souza;
Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas;
Juracy Magalhães;
Light Serviços de Eletricidade;
Luiz Soares;
Militância política;
Ministério da Justiça;
Movimento estudantil;
Mulher;
Participação política;
Partido dos Trabalhadores - PT;
Polícia;
Políticas públicas;
Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadania;
Projetos sociais;
Repressão política;
Rio de Janeiro (estado);
São Paulo;
Secretaria Nacional de Segurança Pública ;
Segurança pública;
Tenentismo;
Trajetória política;
Violência;

Sumário

Entrevista: 9/7/2009

Ano e local de nascimento; a participação como militante no grêmio da escola no período do golpe militar brasileiro (Salvador, 1964); comentários sobre a militância do pai na época do tenentismo, quando Juracy Magalhães foi interventor da Bahia (1931-1935); a participação na organização de um clube de bairro: meio de reação ao autoritarismo; a saída de Salvador para Brasília, por um ano; a ida para São Paulo para participar da Ação Popular –AP e a entrada na Faculdade de São Luis (curso de ciências sociais); o trabalho por três ano na Light e a ajuda destinada às pessoas que estavam fugindo da repressão; a atuação da AP na legalidade; a ida para fazer pós-graduação em Paris (1975-1978), junto com os companheiros da militância; o retorno ao Brasil, em 1978 e a luta pela anistia; breve menção a sua participação na fundação do Partido dos Trabalhadores -PT; a atuação na formação da Federação das Associações de Moradores do Estado do Rio de Janeiro- Famerj; a atuação como presidente na Associação de Moradores de Botafogo: a luta comunitária e política; o trabalho como tesoureiro geral da Famerj, de 1981-1983 e a parceria com Francisco Rodrigues de Alencar, de 1983-1985; a experiência de ter trabalhado como secretário de Desenvolvimento Social (Rio de Janeiro, 1987); os projetos desenvolvidos na secretaria junto às comunidades; o trabalho no Instituto Brasileiro de Análises Sociais e Econômicas- Ibase junto com Herbert José de Souza (Betinho); comentários sobre as políticas do Fome Zero e do Bolsa Família; a ida para Bahia para trabalhar na Companhia Hidrelétrica do São Francisco- Chesf , em 1993; o trabalho na Secretaria Nacional de Segurança Pública (Senasp) por um ano, junto com Luiz Eduardo Soares, no governo do então presidente Lula; as bases do Programa Nacional de Segurança Pública com Cidadia- Pronasci: o Sistema Único de Segurança Pública-Susp (2003); as idéias do gabinete de Gestão Integrada: diálogo entre as forças de segurança de cada Estado; o papel da inteligência policial e da repressão qualificada; a violência como problema da sociedade e não apenas de algumas camadas sociais; o trabalho como subsecretário da Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos do Estado do Rio de Janeiro e a sua relação com o Pronasci; a importância dos projetos sociais; as comunidades que estão sendo auxiliadas pelos projetos do Pronasci; a forma como as mulheres das comunidades se vinculam ao projeto “Mulheres da Paz”; os cursos oferecidos nesse projeto: formação permanete e continuada; as mudanças ocorridas com a introdução do Pronasci nas comunidades; a necessidade de aumentar o período dos cursos e formar um grupo de terapia comunitária; a realização da Conferência Nacional de Segurança Pública - Conseg, (Brasília, agosto de 2009); a necessidade de existir políticas públicas permanentes com a participação da comunidade......................................................................................pp.291-306




Para enviar uma colaboração ou guardar este conteúdo em suas pesquisas clique aqui para fazer o login.

CPDOC | FGV • Centro de Pesquisa e Documentação de História Contemporânea do Brasil
Praia de Botafogo, 190, Rio de Janeiro - RJ - 22253-900 • Tels. (21) 3799.5676 / 3799.5677
Horário da sala de consulta: de segunda a sexta, de 9h às 16h30
© Copyright Fundação Getulio Vargas 2009. Todos os direitos reservados